Homem condenado por estupro é executado a tiros em Vilhena - Pimenta Virtual

carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...

carregando...
carregando...

Homem condenado por estupro é executado a tiros em Vilhena

Publicada em : 18/11/17 11:19 - Atualizada em : 18/11/17 11:19

temp
temp

temp

Clodoaldo Miranda, de 39 anos, acusado de estuprar pelo menos quatro mulheres em Vilhena - RO, foi executado a tiros no Bairro São José. O crime ocorreu por volta das 22h40 desta sexta-feira (17), em frente ao Bar e Lanchonete DZD, localizado na Avenida José do Patrocínio.

 

Segundos informações da proprietária do estabelecimento, Clodoaldo, que fazia uso de uma tornozeleira eletrônica, foi executado por um homem que se aproximou em uma bicicleta e efetuou cerca de 4 disparos, sendo que três acertaram a vítima nas costas e cabeça.

 

 

Clodoaldo que havia sido condenado no ano de 2014 e no momento cumpria pena em liberdade condicional fazendo uso de tornozeleira eletrônica, tentou fugir após ser atingido pelo primeiro tiro nas costas, mas foi seguido pelo agente que acabou acertando um dos disparos em sua cabeça.

 

A Polícia Militar registrou o caso e realiza diligências em prol da localização do atirador.

 

 

 

 

Matéria: Extra de Rondônia

Fotos: Vilhena Notícias

Homem condenado por estupro é executado a tiros em Vilhena


Comentários:

Os comentários aqui escritos não expressam a opinião deste site. Sendo assim, o conteúdo é de total responsabilidade do autor do comentário. Denuncie

Compartilhe:



 SERVIÇOS

©Copyright 2010-2015 Pimenta Virtual

Clique aqui e conheça a nova linha de bicicletas Cairu

Despachante Moares descomplica sua vida! Clique e saiba mais

Você sabe que dia é a noite da Batata Recheada? - clique aqui e veja

Viveiro e Floricultura Viverde Conheça o nosso espaço