CLUBE ATLÉTICO PIMENTENSE: será ? - Pimenta Virtual

carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...
carregando...



CLUBE ATLÉTICO PIMENTENSE: será ?

Publicada em : 11/03/18 19:29 - Atualizada em : 11/03/18 19:29

temp

Ainda existe? 

O tornado da BR 364 oficialmente existe, documentalmente segue nos registros da FFER (Federação de Futebol do Estado de Rondônia), que aguarda seu retorno,  e segue com possibilidades de jogar a série A do Rondoniense. Apesar de não ter atuado nas últimas três edições do campeonato estadual, o CAP segue “de pé”.

E por que ainda “vive” ?

Graças a um grupo de apaixonados incluindo o ex técnico Heder Palmonari, o presidente Marcos Lenzi (Marquinhos da Lind’Água), Cláudio Rocha Cardoso (Ex presidente), alguns amigos e simpatizantes, a “chama” se mantém acesa, fraca, com poucos “gravetos”, e talvez os últimos, mas, ainda “acesa”.

Apaixonados que mantém a parte burocrática e custos para que o clube continue “vivo” ao menos nos registros, já que na prática, o clube (estádio, jogadores e afins), praticamente não existe.

Os custos por ano, chegam a 5 mil reais, valores até então pagos pelos citados no parágrafo acima.  

Momento atual do clube

 O grupo de amigos segue tentando resgatar o Clube Atlético Pimentense que outrora foi orgulho dessa cidade, clube que outrora levou milhares de torcedores ao estádio, clube que com pouco recurso conquistou Rondônia, clube que deixou de ser o pior time do Brasil e voltou a ser destaque positivo no cenário esportivo estadual.

Não existe recursos ou patrocinadores, o que existe neste momento são apaixonados tentando sustentar uma estrutura pesada demais. Mesmo assim, com todo esse peso, com pouco apoio (pra não dizer nenhum), os apaixonados seguem mantendo a “chama acesa”, seguem tentando manter a história desse clube que desde o seu nascimento é marcado por glórias e decepções (muitas decepções), em seu passado mais recente viveu talvez seu melhor momento, mas...

2012, 2013 e 2014

2012 foi o ano da redenção do CAP, o ressurgimento, o ano da fênix, onde o clube saiu “das cinzas”, conquistou a segunda divisão do Rondoniense e voltou a elite do estadual.

2013 o Clube Atlético Pimentense viveu uma página gloriosa de sua história, apesar de não ter sido campeão, o time sem dúvidas teve o melhor futebol daquele ano. Foi vice campeão estadual, mas, isso pouco importou aos torcedores, o futebol apresentado, a entrega do time, fez dessa equipe uma vitoriosa.  

 Falar dessas glórias é também falar de personagens que fizeram acontecer, Heder Palmonari e Cláudio Rocha foram os precursores dessa transformação, através de suas iniciativas, tiraram o clube da lama e elevaram o time ao status de “Melhor Time do estado em 2013” (Mesmo perdendo o título do estadual).

2014 o clube não teve o mesmo desempenho, porém, não fez feio não, pelo contrário, ficou entre os quatro melhores do estado.

Categoria de base

Não podemos falar em CAP sem falar do trabalho do professor Francisco Peres, popularmente conhecido como Chicão.

Chicão também é um dos poucos quer ainda lutam pelo esporte, é bom que se diga que luta de forma voluntária, sem qualquer remuneração, e na maioria das vezes com mínimo de apoio.

Mesmo com a falta de estrutura e apoio, o professor Chicão conseguiu em 2014 a façanha de ser vice campeão estadual.

Chicão chegou a atender cerca de 200 garotos com idade entre 10 e 20 anos.   

A Torcida

Essa sem dúvidas é a melhor de Rondônia, em 2012,  2013 e 2014, nenhum outro time de Rondônia foi mais prestigiado pela torcida que o CAP, aliás, a torcida do Tornado da BR 364 era um show a parte, os jogos do CAP em Pimenta Bueno eram sempre destaque, hora pelo time, hora pela torcida, hora pelos dois juntos.

Destaque Nacional

Mesmo sem estar atuando há cerca de 3 anos, o Clube Atlético Pimentense teve matéria especial em dos principais portais de esporte do país, o UOL esportes.

A matéria destacou a “exótica” camisa de 2013, a qual estampa a imagem do encontro dos rios, símbolo do município de Pimenta Bueno, bem como, falou sobre a situação do clube.   

Saudades e lembranças

A magia expelida pelo time em seu ressurgimento (2012 / 2013), contagiou a todos, o assunto na cidade era o timaço que o CAP era. Alex Lenon, Geilson, Dudu, Rodolfo, Fernandinho, Nino, Ronald, Marcelo, Manga, Filipine, Nem, Gladistone, Michel, Marcelo, Gigante, Emerson, dentre outros, quem se lembra desse time ? 

Dava orgulho assistir o CAP, se vitória não vinha, mas, a certeza de um grande jogo, time de guerreiros, muitos anônimos se tornaram notáveis nesse time, nomes que marcaram uma era, que fazem parte da história desse clube.

Estádio lotado, torcida vibrando, golaços, jogaços, alegrias, euforia e decepções, quantas emoções, quanta lembrança, quem se lembra?

A pergunta aqui é: Será que tudo isso vai se acabar apenas em lembranças?

A esperança é a última que morre

 A vaga do CAP na primeira divisão, fica condicionada a quantidade de times no estadual, que é 8, caso um dos oito desista, o CAP pode requisitar a vaga e disputar o estadual na elite, do contrário, o CAP terá que disputar a segunda divisão para retornar a primeira. 

 

 Mesmo com todas as adversidades, sem recursos financeiros, sem apoio, (sem quase tudo), Heder Palmonari, Marquinhos, Cláudio Rocha e amigos, seguem em uma luta desigual para manter o clube, sonham com o retorno glorioso, com a volta por cima, para esses apaixonados, a esperança segue viva, enquanto tiverem força, o sonho segue...  até quando?

E o futuro ?

Pergunta que segue sem resposta!

Matéria: PimentaVirtual.com.br - Fábio Matias 

 

 

 

CLUBE ATLÉTICO PIMENTENSE: será ?
temp

Comentários:

Os comentários aqui escritos não expressam a opinião deste site. Sendo assim, o conteúdo é de total responsabilidade do autor do comentário. Denuncie

Compartilhe:

©Copyright 2010-2018 Pimenta Virtual